Remédio para perda de memória

Precisa de um remedio para memoria eficiente? Veja as principais opções aqui

Quais doenças causam perda de memória?

A depressão e o estresse podem provocar perda de memória, porque essas duas emoções deixam o corpo tenso e a mente superestilada ou distraída, reduzindo a capacidade de uma pessoa se lembrar de vários assuntos.

Traumas emocionais que desencadeiam crises de estresse também podem provocar perda de memória.

Pessoas que sofrem graves lesões na cabeça, como acidentes de carro podem ferir seu cérebro, sofrendo com perda de memória de curto ou longo prazo.

Quem sofre um acidente vascular cerebral também pode sofrer com perda de memória de curto prazo. Neste caso, a pessoa que sofra um AVC pode se lembrar com riqueza de detalhes de sua infância, mas não se lembrar de eventos recentes.

A demência é uma das principais causadoras da perda de memória. Ela pode ser causada por uma doença dos vasos sanguíneos, pelo abuso de drogas ou álcool ou, ainda, pela doença de Alzheimer.

Além destes eventos, doenças como a hipoatividade ou a hiperatividade da tireoide, infecções como HIV, tuberculose e sífilis também podem prejudicar a memória.

Remédio para perda de memória

Quais remédios combatem doenças que causam perda de memória?

Os remédios citados no início desse texto são capazes de ajudar a combater as doenças que provocam a perda de memória.

Sendo assim, podemos citar como ideias para esses momentos os seguintes produtos.

Donepezil, Rivastigmina, Galantamina, Memantina, Ginkgo Biloba, Memoriol B6, Memorim, Memorex, Intelimax IQ, dentre outros já citados.

Remédio para memória pílula da inteligência

Embora tenham sido desenvolvidos inicialmente para o tratamento de doenças como o Alzheimer, o transtorno de déficit de atenção, a depressão, o combate às convulsões ou, ainda, o tratamento da hiperatividade, alguns medicamentos mostraram efeitos muito positivos no funcionamento do cérebro.

Conhecidos como pílulas da inteligência, eles aumentam a capacidade de aprendizado, estimulando a memória e potencializando o desempenho da mente em atividades complexas.

Os remédios considerados como pílulas da inteligência são: Aderaill, Aniracetam, Donepezila, Prozac, Ritalina, Modafinil, Piracetam e Selegilina.

Contudo, como não foram criados para esse fim, seu uso deve ser feito apenas com prescrição médica, pois os efeitos colaterais em quem não sofre com doenças combatidas por eles não foram mensurados.

Como usar remédio para memória Ritalina

Com um psicoestimulante em sua formulação, a Ritalina estimula a concentração e diminui a sonolência.

Contudo, ela é recomendada apenas para o tratamento do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, além do tratamento da narcolepsia, doença onde ocorrem sintomas de sonolência durante o dia.

A dosagem recomendada da Ritalina varia de acordo com a utilização do medicamento.

No caso do combate à hiperatividade, para crianças com idade igual ou superior a seis anos, devem ser fornecidas dosagens de 4 mg de Ritalina, uma ou duas vezes ao dia.

Para as maiores de seis anos, podem ser fornecidas dosagens de 10 a 20 mg de Ritalina, uma vez ao dia, pela manhã. E, para os adultos, o recomendado é ingerir 20 mg do produto, uma vez ao dia.

Já para quem sofre com narcolepsia, a dosagem, em geral, é de 20 a 30 mg diárias, dividida em duas a três doses.

Como usar remédio para memória Lavitan

Criado para impulsionar o funcionamento do cérebro e melhorar a capacidade da memória em absorver conteúdo, o Lavitan foi desenvolvido exatamente para se encaixar como uma pílula da inteligência.

Por isso, para aproveitar esses benefícios, é importante seguir à risca a dosagem recomendada. O produto, que deve ser consumida apenas por adultos, deve ser ingerido diariamente. São tomados dois comprimidos ao dia, preferencialmente com água.

Se achar que a dosagem não é suficiente, converse com seu médico, para que ele possa corrigir e lhe passar uma dosagem maior.

Como usar remédio para memória com ginkgo biloba

Pensado para aumentar o funcionamento do cérebro e melhorar a memória, o Ginkgo Biloba é um remédio que ajuda em momentos complexos, como melhorar o pensamento crítico ou até mesmo absorver melhor os conteúdos apresentados.

Para aproveitar todos esses benefícios, é importante tomar 120 a 140 mg do extrato dessa planta duas ou três vezes ao longo do dia, por 12 semanas.

Ao final do período, você se sentirá menos cansado mentalmente e com a atividade de sua mente funcionando a todo o vapor.

Quais remédios para memória são bons para idoso

Os idosos que estejam sofrendo com perda de memória e tenham tido qualquer tipo de doença, como o AVC, podem tomar Ritalina ou Piracetam.

Esses medicamentos estimulam o bom funcionamento do cérebro e melhoram a capacidade de memorização dos conteúdos repassados.

Entretanto, se quiser aumentar a dosagem, é importante consultar o seu médico.

O profissional fará a receita que permitirá a compra de novos produtos.

Quais remédios para memória são bons para quem estuda

Os estudantes que querem melhorar o seu desempenho na escola ou na faculdade podem apostar em suplementos ou em alimentos ricos em vitaminas, para que o funcionamento de seu cérebro seja potencializado.

São bons exemplos desta alimentação saudável os alimentos ricos em vitaminas C e E, complexo B, espinafres, brócolis, morango ou soja.

Quais remédios para memória são bons para quem presta concurso

Para os concurseiros de plantão, que querem conseguir bons resultados, uma dica é consumir suplementos ricos em aminoácidos, vitaminas e minerais. Esses compostos tem função regeneradora e energética, fundamental para o funcionamento do cérebro.

São ideais para esse fim o Memoriol B6, Memorium, Memorex, Ginkgo Biloba e Intelimax IQ

Remédio para perda de memória

Quais remédios caseiros são bons para memória

O chá de alecrim com ginkgo biloba é uma ótima alternativa para quem deseja melhorar a memória, pois a bebida aumenta a circulação sanguínea, melhora a comunicação entre os neurônios e eleva a atividade cerebral.

Para prepara-lo, basta ferver um copo de água e depois adicionar cinco folhas de ginkgo biloba e as cinco folhas de alecrim. Tampe e deixe esfriar por cerca de cinco minutos. Coe e beba em seguida. Devem ser tomadas de 2 a 3 xícaras deste chá por dia.

Remédio para perda de memória
5 (100%) 1 voto

Deixe um comentário