O Consulte Remédio é um site onde podemos encontrar os preços de mais de 25 mil medicamentos, dos comuns até os remédios mais específicos.

Além do preço, o site ainda traz as informações de composição, laboratório, apresentação, tarja e outros dados importantes para a compra de um medicamento.

Sendo um site baseado na Tabela da ANVISA, encontraremos apenas os remédios da medicina tradicional (remédios alopáticos).

Mas não há motivo para preocupação: quase todos os medicamentos que conhecemos, e os que são receitados pelos médicos, são alopáticos e estão no site.

Quem determina os preços dos medicamentos

Para regulamentar a venda de remédios no Brasil, temos a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Uma das funções da ANVISA é determinar o preço máximo que as farmácias podem cobrar aos cidadãos pelos seus medicamentos.

Saber essa informação é muito importante para se proteger da cobrança de preços abusivos por um remédio essencial à sua saúde.

Os preços exibidos no Consulte Remédio não são iguais em todo o Brasil porque cada estado cobra um valor diferente de imposto.

Sendo assim, o site informa os preços já com esses impostos embutidos para cada estado do Brasil.

Confira onde os remédios ficam mais caros por causa do imposto (ICMS):

1º – Rio de Janeiro: 20% de Imposto.

2° – Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Sergipe, São Paulo, Tocantins e Rio de Janeiro: 18% de Imposto, mas não para todos os medicamentos. Apenas para os que constam na portaria 1318/2002 da Anvisa.

3º – Rondônia: 17,5%

4º – Demais estados: 17%

5º – Remédios genéricos de São Paulo e Minas Gerais: 12%

6º – Sem impostos: Medicamentos que circulam entre Manaus/Tabatinga (AM), Boa Vista/Bonfim (RR), Macapá/Santana (AP), Guajará-Mirim (RO), Brasiléia/Epitaciolândia/ Cruzeiro do Sul (AC).

O site Consulte Remeédio encontra o medicamento pelo nome ou pelo princípio ativo?

Antes de responder essa pergunta, é importante diferenciar o nome do medicamento do seu princípio ativo.

O nome do medicamento geralmente é o maior que aparece na caixa, e é como o laboratório que o produziu decidiu chamá-lo.

Alguns nomes de remédios são bastante conhecidos por nós: Novalgina, Anador, Doralgina e Dorflex, por exemplo. Cada um desses é produzido por um laboratório.

Já o princípio ativo é aquilo que faz o remédio funcionar no nosso corpo. Todos os remédios citados acima possuem o mesmo princípio ativo: a dipirona.

Por esse motivo que provavelmente, em casos de dores a tratar com Dipirona, qualquer um desses remédios será receitado, respeitando as restrições e indicações de cada paciente.

O site Consulte Remédio organiza os medicamentos pelo nome do remédio, e não pelo princípio ativo.

Como encontrar meu medicamento no Consulte Remédio

Encontrar o seu remédio no site é muito simples! Você pode fazer isso de duas formas:

  1. No lado direito da página há uma coluna com as letras iniciais dos remédios: “Remédios de A a Z”. Encontre a letra inicial do seu remédio e clique. Abrirá uma página de medicamentos com aquela letra. Ao encontrar o seu, clique novamente e poderá ver a descrição completa.
  2. Você pode também digitar o nome do medicamento na barra de busca que fica no lado direito superior da tela, e clicar em “pesquisar”. Aparecerá seu medicamento na página. Basta clicar e conferir as informações!

Caso você saiba apenas o princípio ativo, a busca só poderá ser feita do segundo jeito: digitando o nome do princípio ativo na barra de busca.

Assim, você verá na página todos os remédios que possuem aquele princípio, não importa qual seja o laboratório.

No caso do exemplo citado anteriormente, ao digitar “Dipirona” na barra de buscas, aparecerão todos os remédios que têm dipirona na sua composição, entre eles Novalgina, Anador, Doralgina e Dorflex.

Quais tipos de medicamentos é possível encontrar no site?

Como já foi citado, as informações do portal são dos medicamentos alopáticos, ou seja, os medicamentos da medicina tradicional e que são amplamente usados e receitados. Entre eles, estão:

  • Medicamentos biológicos: Produzidos a partir de células vivas, como as insulinas e hormônios do crescimento.
  • Analgésicos: Neosaldina, Tylenol, Novalgina, Anador, Alivium.
  • Antiácidos: Engov, Eno, Estomazil, Sonrisal.
  • Antibióticos: Amoxilina, Ciprofloxacino, Ampicilina, Azitromicina.
  • Calmantes: Rivotril, Diazepam, Alpralozam, Lorazepam.

Além desses tipos, o site traz também os anti-inflamatórios, antitérmicos, antidepressivos e muitos outros tipos de medicamentos que servem para o tratamento das mais diversas doenças.

No site, não encontraremos:

  • Remédios de homeopatia: extraídos de substâncias vegetais, animais e minerais e que combatem a doença de um jeito completamente diferente dos remédios tradicionais.
  • Remédios fitoterápicos: produzidos a partir de plantas medicinais. Eles têm legislação específica e seu princípio ativo é desconhecido na maioria dos casos. Remédios à base de ginseng, por exemplo, que são utilizados como bioestimulantes e anti-inflamatórios não constam no site.
  • Medicamentos de Notificação simplificada: Medicamentos de baixíssimo risco.
  • Anestésicos Locais Injetáveis Odontológicos e;
  • Polivitamínicos.

Diferenças entre medicamentos de marca, genéricos e similares

Depois de várias medidas do Ministério da Saúde para facilitar o acesso das pessoas aos medicamentos, foram popularizados termos para os tipos de remédios e é muito útil saber o que cada um deles significa.

Medicamentos de Marca

São os remédios mais caros, pois são de referência e patenteados pelo laboratório que os produzem.

Medicamentos Genéricos

São mais baratos, mas são de eficácia, segurança e qualidade comprovadas. Ficam com o valor mais baixo porque são produzidos depois que as licenças de exclusividade já venceram. Sendo assim, qualquer laboratório tem liberdade de reproduzir a fórmula e vender mais barato.

Medicamentos similares

Têm os mesmos princípios ativos dos medicamentos de marca, mas são diferente em tamanho, forma do produto, prazo de validade mais curto e outras diferenças que, no final das contas, não influenciam na ação do medicamento.

O que encontrar na bula do remédio?

A bula é o principal centro de informações do medicamento que você compra. Vale a pena separar um tempo para conhecer as informações mais importantes, que listamos a seguir:

  • Composição: todos os ingredientes que estão no medicamento;
  • Cuidados de armazenamento e prazo de validade;
  • Indicações: Quando devo usar este remédio?
  • Contraindicações: Casos em que o consumo é estritamente proibido;
  • Precauções: Que cuidados tomar durante o uso do medicamento;
  • Interações: Que substâncias não devo consumir enquanto esse medicamento é ministrado;
  • Possíveis efeitos colaterais;
  • Posologia – Quanto devo consumir desse remédio e qual o intervalo.

Antes de consumir qualquer um dos tipos de remédios citados aqui, é indispensável consultar o seu médico.

Como fazer a consulta de preços de remédios
5 (100%) 1 voto